logo RCN

Elas quebram paradigmas

  • Divulgação -

Veterinária de animais de grande porte comprova capacidade feminina nos mais diferentes setores

Seja no campo ou na cidade, a mulher está conquistando espaço nas mais diversas profissões, entre elas na medicina veterinária. Elas estão mostrando a sua coragem, capacidade e determinação no cuidado com os animais de pequeno e até mesmo grande porte. “Aos poucos estamos quebrando os paradigmas de que mulher não é para essa profissão, estamos mostrando que somos capazes. Anos atrás, o número de mulheres atuando na profissão era bem baixo, hoje o número é maior, mas ainda é pouco. Espero que cada vez mais mulheres atuem nessa profissão, porque nós somos capazes, basta ter competência e responsabilidade”, avalia a médica veterinária Silvana Soster.

Recém-formada, a profissional decidiu trabalhar com grandes animais desde o início do curso, pois sua família trabalha com bovinos de leite e ela sempre gostou de trabalhar com esse tipo de animais.”Cresci numa propriedade rural, onde sempre tive contato com os animais, o que despertou o sonho de ser médica veterinária. Após me formar como técnica em Agropecuária, vi a oportunidade de realizar meu sonho, prestei vestibular para medicina veterinária e hoje tenho esse sonho realizado”, relata.

Conforme Silvana, sua escolha nunca foi motivo de preconceito, muito pelo contrário, recebia inclusive apoio, pois a região necessita de profissionais nesta área. “Quando escolhi trabalhar com animais de grande porte, não sofri com comentários machistas, mas fui alertada que no campo eu poderia enfrentar resistência no que dizia respeito a alguns proprietários, o que considero natural e creio que com competência essa barreira será quebrada. Um conselho que deixo para as mulheres é de que não tenham medo, é uma profissão que as mulheres estão ganhando espaço, o mercado de trabalho é amplo, com várias áreas onde se pode atuar, não é somente clínica e cirurgia, é possível atuar em laboratórios, inspeção, vendas, entre outras áreas muito boas”, considera a profissional.

Para Silvana, as mulheres possuem uma maneira diferenciada de trabalhar. “Temos um jeito mais delicado de lidar, observamos maiores detalhes, dando um resultado diferenciado. Particularmente, procuro não ser sentimentalista, prezo pelo bem-estar dos animais e procuro ser profissional no meu trabalho. Me sinto honrada em ser uma das representantes da classe e espero que cada vez mais mulheres atuem nesta área”, garante.

Anterior

Santa Helena - 20 anos de história

Com a mão na massa Próximo

Com a mão na massa

Deixe seu comentário

Nossas Redes

Impresso